Início Blog da Lena Abuso Sexual UM CUIDADO ESPECIAL PARA ENFRENTAR O ABUSO SEXUAL

UM CUIDADO ESPECIAL PARA ENFRENTAR O ABUSO SEXUAL

“Quando eu e minhas irmãs éramos meninas, vinha sempre na nossa casa, uma amigo de meu pai que a gente detestava cumprimentar porque ele nos dava um beijo no rosto, muito lambuzado!  A gente corria toda vez que ele chegava, para não cumprimenta-lo. Minha mãe, em sua inocência e credulidade nas pessoas adultas, brigava comigo e minhas irmãs e nos obrigava a ir falar com ele. A gente acabava obedecendo e fazia isso sentindo o maior nojo, e depois, corria para lavar o rosto na pia!

O abuso sexual é um tema muito delicado. Uma mãe, sem querer, pode empurrar seu filho para os braços de um abusador, por não entender os sinais de pedido de ajuda que seu filho está lhe dando.

O abuso sexual é algo monstruoso, e o agressor, em geral, é próximo da família. É muito difícil para gente imaginar que isso exista, e muito menos que um filho possa passar por um tormento desse. Isso é uma dor muito grande! 

E ainda, essa pessoa criminosa fazer parte das relações da família, da sua confiança! Alguém que se aproveita dessa intimidade, e do fato do tabu de falar de sexualidade na família existir na sua casa para fazer uma atrocidade dessa com a sua criança ou adolescente. Não dá para aceitar! 

A gente ficar cega e surda diante de possíveis sinais, na ilusão de que NÃO VENDO e NEM ouvindo os indícios de algo tão doloroso como o abuso sexual, isso não aconteça com a nossa criança.

Mas, infelizmente, isso não é verdade. Dá só uma olhada nesse infográfico que o Portal G1 publicou!

É com enfrentamento e uma dose a mais de atenção que a gente pode proteger os nossos filhos e evitar abusos sexuais. E é sobre isso que quero conversar com você.

O Abuso Sexual existe!

A prevenção de abuso sexual envolve várias atitudes, como por exemplo ensinar ao seu filho que o corpo dele tem um dono, que esse dono é ele, ensinar o conceito de público e privado… Mas, há um cuidado que eu sempre destaco quando me perguntam qual é a melhor forma de prevenir o abuso sexual? ESCUTAR A SUA CRIANÇA!

A minha mãe não foi a única a se prender a valores sociais rígidos, como por exemplo esse, de fazer as crianças cumprimentarem a todos, e acabar empurrando, sem querer, seu filho ou filha para as mãos ou boca do agressor! Na minha experiência como educadora sexual, já vi isso acontecer com muitos outros pais e mães, por não terem consciência clara do que é um abuso sexual. A gente considera natural algumas atitudes, e com isso não enfrenta a dor.

Qualquer forma de exposição da criança ou do adolescente a estímulos sexuais por qualquer pessoa que conscientemente, se utiliza da violência, do poder afetivo ou financeiro, da autoridade ou da diferença de idade para obter prazer sexual, é considerado abuso sexual. O abuso pode incluir carícias mais comuns como um beijo lambuzado no rosto, a outras mais complexas e traumáticas para suas vítimas, como manipulação dos genitais, e até a relação sexual.

O agressor, diferente do que muita gente gostaria de acreditar, é alguém próximo da família! O estuprador pode ser um desconhecido, mas o abusador, está sempre muito próximo da criança ou do adolescente!

E muitas vezes quando a criança se queixa, ou foge de uma determinada pessoa, que faz parte do nosso bem querer, da nossa confiança… É mais fácil aceitar que seja uma fantasia ou birra boba da criança.

Dê ouvido aos seus filhos 

Se a criança lhe sinalizar com alguma atitude que não quer estar perto de uma determinada pessoa, independente de quem ela seja ou o tipo de vínculo que você tenha com ela, DÊ OUVIDOS AO SEU FILHO OU FILHA

Dê menos importância as convenções sociais e escute mais sua criança ou adolescente. Em vez de obrigar ou ameaçar, quando uma criança se recusa a lidar com alguém, converse, pergunte porque estar agindo assim? Essa pessoa fez alguma coisa que o aborreceu? E faça isso num tom de CUMPLICIDADE com ele, para que ele SINTA que pode CONFIAR em você.

Além disso, fique atento ao comportamento da criança e dessa pessoa que ela rejeita. Pode ser que tudo tenha sido só uma birra ou antipatia momentânea, mas também, pode ser que esse comportamento represente um PEDIDO DE SOCORRO!

Para finalizar, eu compartilhe comigo se você já teve que lidar com o abuso sexual na família. Você teve alguma conduta que lhe ajudou  a prevenir? Mande uma mensagem para o meu e-mail: [email protected]