Início Blog da Lena Os jeitos sexuais de ser

Os jeitos sexuais de ser

identidade-sexual

A diversidade sexual não é nenhuma novidade, mas ainda há pessoas que ficam confusas e com dificuldades para entender o porque as coisas acontecem dessa forma, e porque? O que ou do que se constitui a construção da identidade sexual? Esse artigo é para esclarecer a complexidade da sexualidade e o que é cada um desses elementos que faz cada um, uma pessoa única e especial.

Para o autor do livro os Onze sexos, Ronaldo Pamplona, a sexualidade é formada por cinco elementos: o sexo biológico, a identidade de gênero, o papel sexual, a identidade sexual e, por fim, a orientação sexual. A combinação entre estes elementos marca as diferenças no jeito de cada pessoa ser e viver sua sexualidade. Vamos entender um pouco o que quer dizer cada um destes elementos.

Sexo Biológico

Quando um espermatozoide penetra o óvulo ocorre a fecundação. Todo óvulo contém umcromossomo X, já os espermatozoides podem conter os cromossomos X ou Y. Se o espermatozoide que o fecundou for do tipo X, o bebê será do sexo feminino. Mas, se o vencedor for do tipo Y, o bebê será do sexo masculino.

A partir de então, cada um dos sexos forma o seu aparelho genital, inclusive um tipo de glândula interna específica: ovário nas meninas e testículo nos meninos. Externamente, as meninas, quando bebês, são identificadas pela presença da vulva, vagina e clitóris e os meninos pelo pênis e a bolsa escrotal.

Identidade de Gênero e Papel Sexual

Por volta dos 2 ou 3 anos, as crianças descobrem os seus genitais. Essa descoberta anatômica tem uma grande importância na tomada de consciência de gênero e no desenvolvimento dos papéis sexuais. Os pequenos associam seu tipo de genital ao dos pais e, de acordo com a similaridade, imitam os comportamentos do pai ou da mãe.

Além disso, meninos e meninas são tratados de forma diferente desde a hora em que os adultos descobrem seu sexo, muitas vezes, ainda na barriga da mãe. Por meios de gestos, palavras, brincadeiras, prêmios e castigos, a família, a escola e a mídia passam para a criança informações e modelos que ensinam como eles esperam que um menino ou uma menina se comporte. Isto é o Papel sexual – a forma como cada um expressa sua sexualidade.

Identidade Sexual

A identidade sexual é o que o indivíduo acredita ser. E isto é um processo de construção psicológica que envolve o sexo biológico e o comportamento social. Para um garoto, por exemplo, acreditar que ele é homem, é preciso que ele saiba que é do sexo masculino, se reconhecer como homem e saber como um homem deve agir.

Parece óbvio, mas a aquisição da identidade nem sempre é assim. Os travestis, por exemplo, são pessoas com uma identidade sexual variável: num momento sentem-se homens, no outro, mulheres. Já os transexuais têm uma identidade sexual fixa, ou seja, acreditam ser homens ou mulheres, só que o seu corpo não corresponde a esse sentir. Um exemplo conhecido é o da Roberta Close.

Orientação Sexual

A forma como cada pessoa se sente – a identidade sexual – é individual e pessoal, bem como o desejo por alguém para amar e fazer sexo. A Orientação sexual é exatamente a direção para qual se inclina este desejo, de acordo com o gênero pelo qual a pessoa se sente atraída. Desta forma, existem três tipos de orientação sexual: heterossexual, quando se deseja pessoas do sexo oposto; homossexual, que é desejo por alguém do mesmo sexo; e bissexual, quando se deseja pessoas de ambos os sexos.

Assim, um homem heterossexual, por exemplo, nasce com os genitais masculino, sabe que pertence a este gênero, aprende a se comportar como a sua cultura espera, se sente homem e deseja sexualmente pessoas do sexo oposto. No homem homossexual, todos os elementos da sua sexualidade ocorre como no homem hetero, só que o seu desejo sexual está direcionado a alguém do seu mesmo sexo. Já na pessoa bissexual a atração pode ocorrer tanto por um gênero como pelo outro, e nos assexuados esse desejo é nulo.

Clique aqui e tenha acesso ao quadro didático sobre como cada um desses aspectos ocorre nos mais variados Jeitos Sexuais de Ser

Como vocês podem perceber, a orientação sexual é um desejo que não depende da vontade consciente da pessoa. Ninguém decide ser hétero, homo ou bissexual de uma hora para outra, e muito menos por que é moda ou alguém falou para ser assim. Quando se tem um desejo que não corresponde às expectativas sociais, o indivíduo sofre bastante com a discriminação, o preconceito, a ignorância e a violência das pessoas.

Você, seus pensamentos e suas atitudes são muito importantes na luta contra a essa violência e no incentivo ao respeito as pessoas! Assim, para lhe ajudar nessa

Para você saber mais, acesse o vídeo Como a identidade sexual é construída.